Nossos Números

55000
Seguidores
60
Professores
2240
Alunos
2315
Aprovados

“Cras tristique turpis justo, eu consequat sem adipiscing ut. Donec posuere bibendum metus.”

Tony Nguyen, Co-Founder

O Colégio Santa Emília

Em 1984 se realiza o sonho de Maria Inês Rabelo – A fundação do Colégio Santa Emília. Empreendimento construído com dignidade, dedicação e competência, voltado para a educação.

Uma caminhada d    e alegrias e muito trabalho. Essa história não se mede apenas pelo tempo, mas por tudo o que foi realizado e pelas boas lembranças. A disciplina e o respeito são a base para se aprender todas as ciências, como também à solidariedade e as diferenças.

Hoje o Colégio Santa Emília dispõe de duas unidades: Uma em Olinda e uma em Recife. Oferecendo uma excelente estrutura física.

A parceria família/escola é o que fortalece e impulsiona nos momentos de dificuldades para dar continuidade ao objetivo maior – a formação do cidadão.

Missão

O Colégio Santa Emília tem como objetivo favorecer o desenvolvimento de indivíduos autônomos, críticos e solidários que compreendam os significados das ciências, das letras, das artes e do processo de transformação da sociedade e da cultura, através da construção de competências, habilidades e conhecimentos necessários ao exercício da cidadania e do trabalho. Tudo isso pautado pelos princípios da ética, compromisso social, disciplina e excelência.

Nossa missão é investir em um processo educacional de qualidade, com base na responsabilidade, compromisso e disciplina, valorizando a parceria família/escola através de ações pedagógicas inovadoras que permitam aos nossos alunos a construção e reconstrução de saberes que caracterizem a excelência acadêmica e humana.

Santa Emília de Rodat

Marie Guillemette Emilie de Rodat nasceu em 1787, na cidade de Rodez no sul da França, e foi criada por sua avó. Foi educada na Maison San-Cyr Villefrance e com dezoito anos passou a ser professora, tão grande era a sua inteligência e dedicação. Sentindo-se chamada para a vida religiosa, entrou para três ordens, mas não se sentia confortável em nenhuma delas, assim, em 1815, começou a cuidar de crianças pobres por sua conta, e no ano seguinte fundou uma escola gratuita para crianças carentes com três assistentes e quarenta estudantes.

Este foi o alicerce da fundação de um instituto que mais tarde se tornaria a “Congregação Religiosa Sagrada Família” em Villefrance, dedicada a educação em geral, mas, com ênfase especial à educação religiosa. Emília trabalhou com grande esforço e energia e fundou nada menos de 38 instituições, algumas delas, dedicadas a cuidar de mulheres em situação delicada, órfãos, prisioneiros e asilos. Cuidava dos doentes pessoalmente e curava alguns apenas com oração e sua benção.

Assim, sua fama se espalhou por toda a região e várias pessoas de todas as classes sociais vinham procurá-la para conforto e cura. Faleceu em 19 de setembro de 1852. Seu túmulo passou a ser local de peregrinação e inúmeros são os milagres creditados a sua intercessão. Foi canonizada em 1950 pelo Papa Pio XII. Sua festa é celebrada no dia 19 de setembro.